terça-feira, 23 de outubro de 2012

BATER EM CRIANÇA PODE... E EM CACHORRO?



 “O que descrever perante a atrocidade vista por todos que tiveram acesso ao conteúdo exibido na mídia? Lamentável, hediondo, grotesco!!! (...) Este lixo desse garoto junto com a mãe dele, que deve valer menos ainda, que nem pra educar ela foi capaz, tem que ser preso!!! (...) Isto é crime! A vida de um animal desses em minha opinião vale mais do que a desse garoto nojento que só toma lugar no mundo” CLIENTES REVOLTADOS DO PET SHOP 4 PATAS

Pois é... Nestes dias eu estive analisando a repercussão do caso do Pet Shop que agredia cachorros enquanto dava banho nos mesmos. Foi uma revolta comovente da população. Todos acharam um absurdo bater em cachorro pra educar. E quanto bater em crianças? Isto pode? O questionamento é por que quando eu falo aqui no blog sobre outras formas de educação que não seja a violência, todos me criticam... Como foi o caso de “A LEI DA PALMADA”. Mas acontece que agora a mídia mostrou como se educa batendo e todos se revoltaram! Será hipocrisia? Ou será que estas pessoas batem em seus filhos pra educar e conversam com seus cachorros?

Para esclarecer a situação, antes que pensem que sou a favor da violência contra os animais, eu sou contra qualquer tipo de violência. E digo que já tive bichos, gatos e cachorros, e tenho filhos. Não educava meus bichos na base da violência e tampouco  os meus filhos. Assim como os meus filhos hoje recebem punição se não me obedecerem, meus bichos também recebiam. Mas nunca violência! E digo que todos eles me obedeciam.  Mas hoje vejo pessoas chocadas com os atos do rapaz do Pet Shop e ao mesmo tempo continuam gritando pros seus bichos em casa: “Vou te encher de porrada se você subir no sofá!” Seria isto hipocrisia? Vejo também comentários que o rapaz agressor do Pet Shop não foi bem educado pela mãe. Ora, onde será que ele aprendeu que se bater nos bichos eles obedecem? Com certeza foi a mãe o educando. Educando na base da violência.

Lembrem-se pessoal: Violência só gera violência! Eu cresci achando que se eu batesse em todo mundo, todo mundo iria me obedecer. Mas não funciona assim. A inteligência é muito mais poderosa que a força. Use a cabeça pra educar seus filhos e bichos. Estamos na era do conhecimento. Não cabe mais em nosso mundo métodos arcaicos de educação. Chega de violência!

Fui! Um abraço!

Crédito da imagem:


10 comentários:

  1. Há pouco tive uma discussão com um colega meu sobre o assunto. Segue o debate:

    Ele: se fosse um homicidio nenhum cidadao ia ficar colocando foto do local.. agora bateu num cachorroo.. nego faz um estardalhaço desnecessário....

    Contestei: Isso foi um comentário sério?? Que isso, cara? Nada a ver... Estou tentando entender o seu ponto de vista, mas a imagem da agressão têm uma natureza tão vil que fica difícil não se compadecer com os animais, os quais, em nenhum momento atacaram, apenas ficaram acuados, e, provavelmente, ficarão traumatizados em detrimento da violência gratuita praticada por um cara que "conscientemente" sabia o que estava fazendo.
    Acho que a palavra homicídio por si só, já é bastante violenta. Ninguém precisa de foto para saber a dor deste tipo de perda. Se alguém falar para mim: "Minha mãe morreu assassinada", isso, para mim, já será um baque completo, já estarei bastante mexido com a notícia. Você pode ter certeza disso. Se fosse uma casa de Repouso ou uma Creche vc acha que as pessoas estariam menos revoltadas?

    Ele: Estariam com toda certeza. Quantos casos de agressão a mendigos (por exemplo) são noticiados diariamente e ninguem coloca fotinho do pobre coitado no face... Ai chega um cachorro e nego faz um estardalhaço desnecessário. É obvio que maltratar animais é ilegal e, jamais, vou conluir e defender tal conduta, mas acho que as pessoas, em geral, estao perdendo valores ou querem se passar por muito bondosas sem ser, pq se pararmos para pesar, a vida de um ser humano vale muito mais que um cachorro.... Isso é percebível até na lei....

    Eu: Cara, acho que eu até entendo a sua revolta. Contudo, inerente ao fato do cachorro ser menos importante que o ser humano em sociedade, devemos nos ater ao fato em si: em nenhum momento se está falando sobre a relevância dos bens abarcados pela nossa legislação - não se pode mensurar isso desta forma. Se uma criança ou uma idosa fosse alvo de uma violência doméstica na mesma dimensão é lógico que seria muito mais alarmante do que apenas uma agressão a um cachorro. Afinal de contas, geralmente esse tipo de notícia para o telejornal é uma ótima fonte de IBOPE, ou seja, passará documentários e matérias sobre o problema. Por fim, logicamente, milhões de telespectadores assistirão a isso. Ou seja, pelo seu raciocínio, se as pessoas ficam menos revoltadas, por que dá IBOPE? O cidadão assiste a matéria por osmose? Tem vários tipos de agressões que vemos no nosso dia-a-dia que não são postadas no Face. Não é só contra mendigos. Talvez seja uma falha minha ficar omisso quanto a estes crimes, ter me acostumado com os altos índices de violência? Sim. Eu reconheço. Só que o mais estranho é que você está levantando o dedo e argumentando sem ser exatamente o maior defensor das pessoas que, segundo você, realmente precisam de ajuda. Pelo menos, eu não vejo nenhum post seu quanto a isso...

    Acho que o final foi realmente um momento de epifania para mim que sou muito contestador:
    Eu o ataquei frontalmente e sem chance de ele revidar, fiz exatamente um ato de violência num postagem que falava sobre violência - ISSO ESTÁ ERRADO. E como o David falou: não se deve procurar a violência. Sei que o ser humano acaba encontrando-a, mas devemos tentar afastá-la das nossas ações tanto ativamente quanto passivamente.

    Bom post, David!

    "A regra da igualdade não consiste senão em quinhoar desigualmente os desiguais, na medida em que se desigualam" - eu acho que é Rui Barbosa (hehehe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante! Mas estranho a revolta com os cachorros já que os pais fazem o mesmo com os filhos! Mas a sua colocação foi muito interessante. A ideia é por aí... Abraços e obrigado pelo comentário!

      Excluir
  2. Quando necessário bato em ambos. Bato, corrigir, não espancar.

    ResponderExcluir
  3. Júnior, se você observar as imagens com carinho,verá que o rapaz do Pet Shop não está espancando os cachorros, só está corrigindo...

    ResponderExcluir
  4. Acho que a psicologia pode nos ensinar muito sobre como educar. acho que deve haver limite para o comportamento dos pais, sim. Mas me preocupa que os problemas sociais que enfrentamos hoje estejam sendo resolvidos, todos, pela criminalização dos comportamentos. É o mesmo com relação à homofobia, ao racismo e ao assédio sexual. Os legisladores, em vez de mudar a mentalidade das pessoas, querem criminalizar comportamentos, como se o Estado brasileiro já não fosse repressor o suficiente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante Cassio Loretti Werneck! "Criminalização dos comportamentos"! Este é o ponto principal. Muito relevante seu comentário! Neste ponto eu também apoio o Movimento Gay! Abraços!

      Excluir
    2. Concordo em tudo Cassio, muito bem observado, parabéns. Lembrando que, a repressão nada mais é que uma ferramenta de divisão. Mais o assunto não é esse.

      Excluir
  5. Mas é claro que qualquer pessoa que respeita o outro, assim como exige respeito (porque respeito quer dizer exatamente isto, dar a cada um o que lhe cabe, por direito - do latim respectum, que também origina respectivo, foi mal viajei... Mas a qualquer cidadão direito cabe respeitar o outro e ser respeitado, é isso que nós queremos. E Sabemos que aqueles que precisam ser educados para o respeito nem sempre são criminosos, facínoras. As pessoas sabem a diferença entre abuso e exagero, não precisamos que o Estado interfira em cada instância de nossas vidas. Precisamos de um Estado que garanta nossos direitos, que eduque para o respeito, e que reconduza os infratores (quando for o caso) ao convívio social.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cassio Loretti Werneck concordo com tudo! Mas ainda assim acredito que estamos evoluídos a ponto de não precisarmos mais usar métodos arcaicos de educação... Não deveríamos mais usar a guerra como meio de resolver conflitos entre nações, não mais bater no vizinho que não abaixou o volume do som e nem nas nossas crianças e cachorros que não disseram "sim senhor" ou abanaram o rabo. Existem outros métodos! E como evoluídos, deveríamos buscar estes métodos. É lógico que estou errado, pois quase 100% da população acha normal bater em mulher, criança e cachorro. Só houve esta comoção agora por causa da Globo, pois do geral todo mundo continua batendo em seus filhos, mulheres e cachorros. Acho hipocrisia! Por isto divulgo estas ideias loucas. Abraços!

      Excluir
  6. Prezado Blogueiro,

    Está no ar o mais novo agregador de conteúdo da web.
    Envie até 2 links por dia gratuitamente.
    Faça o cadastro do seu blog, é fácil e rápido.

    Atenciosamente,
    http://vadiandonanet.com/

    ResponderExcluir

COMENTE, DEIXE SUA OPINIÃO